Nightmare – Death

Posted: 2012.Junho.15. in Contos
Etiquetas:, ,

Olhou ao redor. Estava no mesmo escuro corredor da outra noite, mas dessa vez, ao invés de quadros macabros, as paredes estavam cobertas de bolhas, que se balançavam de modo grotesco.

Precisava se encontrar com seus amigos o mais rápido possível. Se estivesse certa, conseguiriam escapar daquele lugar sem problemas. Cautelosamente, avançou.

Tentava não prestar atenção nos gritos que ecoavam por todos os lados, mas não havia como. Começou a correr, passando por vários corredores onde estranhas criaturas começavam a se materializar.

Parou, ofegante. Os gritos já não podiam mais ser ouvidos.

“Me…ajude…”

“Nami?”, ela chamou, correndo na direção da voz “Nami!”

Abriu uma porta de metal e encontrou a garota, imóvel no centro da sala, seus olhos expressavam um terror que Aya nunca tinha visto antes.

“O que…”

“Me…ajude…”

Aya começou a caminhar em direção à amiga, mas parou ao sentir uma dor profunda na perna. Sangue escorria de um corte. Como isso acontecera? A jovem olhou para o local com mais atenção e percebeu que haviam fios, praticamente transparentes e extremamente cortantes, por toda a sala. Nami estava presa em uma armadilha.

“Aya…”, ela começou a chorar “Por favor…”

Um desespero sem tamanho tomou conta da garota. Precisava salvar a amiga.

Antes que pudesse fazer qualquer coisa, ouviu um pequeno estalo e, de repente, todos os fios se esticaram e torceram entre si. As paredes e o chão foram manchados de vermelho.

Aya ficou paralisada, seus olhos não conseguiam acreditar no que havia acontecido. Um sino começou a tocar e todo o local foi tomado pelas sombras.

“NAMIIIII!!!!!”

Ofegante e suando frio, Aya se levantou bruscamente e, ignorando a dor que sentia na perna, saiu para o corredor. Quando chegou no quarto de Nami, a porta estava trancada.

“Aya, você está bem!”, ouviu Yuzuki se aproximar.

“Por favor, me ajuda a abrir a porta!!!”

“O que…”

“A Nami pode estar…”, Aya não conseguiu terminar a frase.

Sem hesitar, Yuzuki chutou a porta, que se abriu violentamente. Correram para dentro do aposento.

Aya abafou um grito com as mãos e caiu para trás, chorando.

“Não…Nami…por que…”, Yuzuki caiu de joelhos, não conseguindo acreditar no que via.

Estava mais do que claro para eles que precisavam escapar daquele lugar, mas…como? Mais uma noite e poderiam ser as próximas vítimas. O sol começara a surgir no horizonte, mas nem isso conseguiu renovar as  esperanças dos dois…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s