Arquivo de Novembro, 2011

Vlenduri Ouz

Posted: 2011.Novembro.21. in Contos
Etiquetas:,

Millena entrou na sala de comando e observou por um tempo o que seu chefe, Vlenduri Ouz, fazia. Estava girando em sua cadeira com um sorriso abobalhado estampado no rosto.

-Senhor… – ela chamou.

-Oi! o quê? Ah! – ele tentou parar a cadeira, mas acabou caindo em baixo da mesa.

-Já olhou as fichas dos candidatos à vaga de sub-chefe?

-O quê?

-O senhor não é mais o sub-chefe desde que seu superior desapareceu e tornou-o o comandante.

-O quê?

-VOCÊ PRECISA…

-Não, isso eu entendi. É que eu ouvi uma voz estranha na minha cabeça e não estava fazendo muito sentido, sabe?

-Sei exatamente como é isso…

Millena ainda não tinha se acostumado a ter um chefe como Vlenduri, por isso ficava confusa e irritada.

-Senhor, chegaram documentos da Solarse. – ela disse lembrando-se a que veio.

-Sobre?

-O prisioneiro A-000 conseguiu escapar dos andares inferiores.

-Quem?

-O prisioneiro A-000. O senhor recebeu os papeis com as informações dos prisioneiros, não recebeu?

Vlenduri não sabia bem a que papeis ela se referia, já que sua sala parecia um grande depósito. Pilhas e mais pilhas de documentos espalhadas por todos os cantos.

-De qualquer forma, a Solarse quer que nós o prendamos desta vez – ela continuou, vendo que Vlenduri não se lembraria.

-Por que eles não podem?

-Todos os seus agentes estão em missões.

-E nós, por que não podemos?

-Eu não disse que não podemos…

-Oh…então…

-Precisa encontrar um sub-chefe para que o senhor possa sair em busca do fugitivo! – disse sem paciência.

-Mas por que eu?

-O senhor realmente não lê os papéis que chegam à sua sala, lê? Está tudo escrito: o prisioneiro A-000 fugiu e a Solarse quer que o senhor, explicitamente, O SENHOR vá caçá-lo!!!

-Ah…entendo…então, onde está o sub-chefe?

-Não pode bater no seu chefe, não pode bater no seu chefe… – ela repetiu para si mesma.

-Quê?

-Por favor, entenda minha situação…se não sair logo para capturá-lo, a Solarse vai acabar despedindo nós dois!

-Ah, meu deus!!! A voz que ecoa dentro da minha mente acaba de ter uma grande ideia!!! Millena, encontre um sub-chefe para ficar em meu lugar para que eu possa me tornar um herói! Isso, ótima ideia!!!

Millena suspirou e dirigiu-se à porta, enquanto Vlenduri continuava a se vangloriar por nada.

Minna~!

Isso é uma introdução do personagem Vlenduri Ouz pra uma história que eu estou tentando escrever…

É como uma história antes da história…com isso quero dizer que essa parte seria uma história com o Vlenduri como protagonista, ou sei lá…

Ele tem o título de “O Mais Idiota” por motivos um pouco óbvios, mas…

O que acharam dele?

Anúncios

Post Bellum

Posted: 2011.Novembro.20. in Contos
Etiquetas:,

Com seus tristes e pesados olhos, Sirian, comandante dos cavaleiros reais, observava a destruição do campo de batalha. A guerra parecia ter chegado ao fim, mas o sofrimento e o ódio continuavam no ar.

Seus subordinados estavam feridos ou mortos, não havia um em boas condições. O massacre na Planície Uivante teve fim após caóticos dias de luta e tudo o que sobrara era aquela paisagem macabra.

Sirian ajoelhou-se e fincou sua espada no solo, agora colorido pelo sangue de seus homens e sentiu suas forças escorrerem pelas feridas. Sua visão ficou turva, mas ele sacudiu a cabeça tentando manter-se acordado. Não queria morrer. Não antes de rever sua amada esposa e seu filho. Não antes de vê-lo crescer no mundo pacífico que havia, enfim, conquistado.

O tempo pareceu desacelerar para que lembrasse de sua família antes de dar seu último suspiro.

Caiu pesadamente no chão e, ainda consciente, viu algo que parecia impossível: em contraste com a luz branca que crescia no horizonte, a silhueta de um grande pássaro vermelho sobrevoou o local. O símbolo do recomeço a partir da destruição, a Fênix jogava luzes por onde passava.

O cavaleiro sorriu, feliz por presenciar aquele acontecimento, antes de fechar os olhos e mergulhar profundamente num sonho eterno.