Devil’s Bride – part 3

Posted: 2011.Setembro.10. in Devil's Bride
Etiquetas:

Pouco depois das nove da noite, o clube de investigação sobrenatural estava mais uma vez reunido para sua reunião semanal no ginásio. Enquanto Hiroshi lia a nova edição do Kamikaze’s Supernatural News, os outros membros brincavam de queimada.

-Minna!!! Olhem só o que eu… – chamou Hiroshi antes de ser atingido brutalmente pela bola.

-Gomen, líder!!! – desculpou-se Yumi – Não queria ter te acertado!!!

-Mas mirou nele por que, então?

-Cala a boca, Kai!

Depois de reviverem Hiroshi, ele mostrou ao grupo algo que interessou a todos.

-O quê? Então é real? – gritou Hikari espantada e feliz.

-É o que diz aqui: “Espírito maligno faz duas novas vítimas” – Yumi começou a ler – “Segundo testemunhas, duas estudantes do segundo ano do colegial foram surpreendidas na noite passada. Tudo o que elas conseguiam dizer era ‘Espírito maligno ikemen’, o que, sinceramente, não fez nenhum sentido para nós.”, nem pra mim…

-Eu já tinha ouvido falar dele, mas não achava que era real!!! – disse Hikari um pouco histérica.

-Agora se interessou mais pelo clube, hein? Ou será que também espera ser atacada pelo espírito ikemen? – zombou Hiroshi.

-Diga o que quiser. Eu irei conseguir uma foto dele, custe o que custar!

-Pode contar conosco, Hika-chan! – disseram Sora e Yumi juntos.

Kai apenas sorriu e concordou com aceno. Hikari sorriu.

-Então, vamos iniciar a busca pelos grandes mistérios do colégio de hoje? – disse, já saindo pela porta sacudindo uma lanterna.

-Ei, essa frase é minha! E ainda falou errado! (Se bem que ficou mais legal, mas…) É “vamos iniciar a ronda sobrenatural de hoje”!!! E quem te deu permissão pra tomar a liderança? Ei, tá me ouvindo?

Hikari estava cansada de procurar. Já havia caminhado por algum tempo e não encontrou nada. Sentou-se em um banco e olhou em volta. Estava próxima da estufa do clube de jardinagem. Sempre teve curiosidade de saber como era por dentro, mas estava sempre fechada. Era noite, então, provavelmente, não conseguiria entrar mais uma vez. Mesmo assim, aproximou-se e tentou abrir a porta. Antes que pudesse tocar a maçaneta, ouviu um som alto vindo de dentro, como um vaso caindo e se quebrando.

Afastou-se assustada e ficou um tempo encarando o vidro. Tudo o que conseguia ver era seu reflexo. Deu um passo para frente, ainda encarando sua imagem. De repente, uma mão atravessou o vidro, estilhaçando-o em milhares de pedaços. Hikari caiu para trás, protegendo o rosto.

A jovem olhou para a figura que saía da escuridão. Cabelos prateados, olhos reluzindo um vermelho profundo, roupas negras como a mais escura das noites.

Um grito ecoou pelo ar. No instante seguinte, Hikari estava correndo, não sabia mais para onde. Lágrimas embaçavam sua visão. Estava com medo? Limpou-as na  manga da blusa e parou.

-O que foi aquilo? – sussurrou para si mesma.

-Hikari! – ouviu, e uma mão pousou sobre seu ombro.

Em um ataque de desespero, a jovem virou-se e golpeou o demônio com um soco no estômago. Reabriu os olhos e viu, contorcendo-se de dor no chão, não um espírito maligno, mas Hiroshi.

-Ah, yabai!!! Hiro-kun, gomen!!!

-Não basta…levar uma bolada no meio da cara…agora…levo um soco… – disse rolando de dor.

-Hiro-kun! O que acont…Ué? Hikari? – Sora apareceu de dentro do ginásio.

Com todos reunidos de volta no ginásio – e Hiroshi consciente -, os membros do clube contavam o que tinham conseguido na ronda sobrenatural.

-Nada… – começou Yumi.

-Idem… – continuou Kai.

-Eu tirei uma foto!

-Se for falar da maldita Árvore Sangrenta, eu juro que v… – Yumi foi interrompida por Kai.

-E você Hika-chan? Com certeza encontrou alguma coisa que a deixou apavorada. Tenho certeza que não queria machucar o líder…né? Pelo menos não tanto quanto a Yumi-chan.

-É! É bom ter uma boa desculpa! – gritou Hiroshi.

Hikari olhou para os amigos, que olhavam fixamente para ela. Não sabia o porquê, mas estava em dúvida se devia contar o que vira. Respirou fundo e começou.

-Eu…vi uma sombra perto da estufa. Não sei direito o que era, mas acho que acabei me assustando por nada. – disse tentando controlar o choro.

-Tem certeza que foi só isso? – perguntou Sora preocupado.

Hikari fez que sim com a cabeça e desviou o olhar. Estava claro que ela escondia alguma coisa. Mesmo assim, resolveram deixar de lado e fingir que aquela era a verdade, pelo menos por enquanto.

-Acho que tivemos um dia cheio. Por que não voltamos pra casa e retomamos na próxima reunião? – sugeriu Kai.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s